por Rui Almeida

 30 DE OUTUBRO 2018

 

CONTAS FINAIS PARA UM TÍTULO

12 PILOTOS PARA 6 LUGARES À INTERTROFÉUS

 

 

Estamos a pouco mais de uma semana do final do troféu dos ASES e vale a pena fazer uma análise das possibilidades de cada um dos pilotos, dentro do grupo daqueles que ainda podem sonhar em alcançar um dos dois objectivos da época – o título ou a presença na TIT 2019.

 

Comecemos pelo título, até porque é o que tem as contas mais simples.

Matematicamente, só dois pilotos podem lá chegar e este ano temos a particularidade curiosa de serem pai e filho!

O grande favorito é o mais novo dos Almeidas, o Iceman, o mais recente centenário dos Ases.

Se logo na primeira corrida fizer um terceiro lugar, será campeão!

O seu pai (aqui o redactor…) Rui Almeida SR, até nem precisa de vencer, mas é bom que o faça mesmo!

Em termos de matemática pura, dois quartos lugares podem servir para ser campeão, mas isso é… matemática.

Realisticamente falando, está muito dependente do que fizer o Iceman. O melhor é fazer a sua parte, ou seja, tentar vencer as duas mangas e depois... esperar.

Esperar que o seu filho não consiga melhor que quintos lugares nas duas mangas.

Face ao desenrolar da época, é tarefa muito complicada.

Para fechar o pódio final, Diogo Sousa.

Sousa pode ainda remotamente sonhar com o segundo lugar e também é certo que dificilmente perderá o terceiro lugar, portanto, o mais provavel é mesmo carimbar o terceiro lugar.

E A TIT... 

Quanto ao apuramento para a Taça Intertroféus, três pilotos já garantiram presença – Os Rui Almeida, pai e filho e Diogo Sousa.

A partir daqui e matematicamente falando, até ao 12º classificado, todos podem qualificar-se para a TIT!

Claro que nem todos têm as mesmas possibilidades.

Comecemos pela ordem dos que estão em pior situação:

Ricardo Passos e Luís Cunha – Matemáticamente falando, ambos até podem chegar ao 4º lugar, mas na realidade, o 6º lugar seria o seu target.

Só que para isso, teriam de vencer as duas mangas, o que naturalmente é possível, mas extremamente complicado.

Cunha já venceu uma vez, Passos já fez um segundo lugar, mas vencer é o objectivo de todos os nomes mencionados nesta análise e… só há duas corridas.

Hugo Carvalhido, Diogo Costa e Luís Fernandes – estes pilotos estão no mesmo patamar, mas ainda assim arrisco fazer uma diferenciação.

Hugo Carvalhido e Diogo Costa de um lado e Luis Fernandes do outro.

Os dois primeiros estão quase ao mesmo nível. Hugo Carvalhido tem tido uma ascensão sustentada e é hoje um piloto “perigoso” em qualquer corrida. Arrisco dizer que a sua primeira vitória pode surgir a qualquer momento.

Por seu lado, Diogo Costa subiu para um patamar de maior consistencia, isto é, tornou-se menos errático e com resultados praticamente dentro do top 8.

Qualquer um deles pode rivalizar com os pilotos que estão imediatamente à sua frente.

Já Luís Fernandes é outra história.

O penta-campeão dos ASES é um sério candidato a vencer mesmo!

O seu historial não engana e este ano só tem pódios. É uma ameaça poderosa e com um "odd" de vitória muito baixo.

Gustavo Gonçalves e Jorge Meireles são presas que terão de estar muito atentas e concentradas para não serem apanhadas.

Se Fernandes vencer, terão de terminar no pódio e como já disse atrás, candidatos ao pódio são todos!

Luís Fernandes é tão ameaçador que se João Moreira e/ou Luís Duarte tiverem uma corrida abaixo das suas reais possibilidades, Fernandes é piloto para lhes tirar o pãozinho da boca!

Quanto a Gustavo Gonçalves e a Jorge Meireles, ambos nunca venceram nos ASES, mas são pilotos que o podem vencer a qualquer momento e Meireles já esteve muito perto.

Se Luís Fernandes não confirmar o sua força destruidora, o sexto lugar deverá ser de um destes pilotos. Para já a vantagem está do lado de Gustavo Gonçalves.

Finalmente, João Moreira e Luís Duarte.

O quarto lugar é para já de Moreira e o seu final de época está a ser em crescendo.

Se é verdade que terá de estar atento a Luis Fernandes, por outro a sua maturidade e experiencia dão-lhe aquela tranquilidade de quem sabe que basta terminar logo a seguir para conseguir os seus intentos.

Quanto a Luís Duarte, é de facto um dos grandes pilotos nacionais, mas está a regressar de uma lesão que o pode limitar nas suas aspirações.

Se estiver ao seu nível, é mais um a juntar nos potenciais vencedores da jornada e consequentemente a roubar o quarto lugar a João Moreira!

Falta pouco para sabermos como tudo terminou.

<< Clique aquipara escrever aos ASES