por Rui Almeida

 

29 AGOSTO 2018

 

 

A MALDIÇÃO DOS ASES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OS ASES (175) foram a única equipa que verdadeiramente incomudou a Racing ACES (108) na sua caminhada triunfal ruma à vitória

 

Ganhar as 24H da Batalha não é fácil para ninguém, nem para os crónicos candidatos.

Por isso, quando surge uma oportunidade real de ganhar a prova, temos de nos agarrar a ela com todas as nossas forças e aproveitá-la ao máximo.

Na nossa última presença – em 2016, os ASES surgiram com uma equipa na qual mais de metade dos pilotos, era desconhecida dos mais atentos.

Fomos uma verdadeira surpresa, poderíamos ter ganho, mas pagamos o preço da juventude desses elementos e da sua inexperiência neste tipo de provas.

Ainda assim, fomos terceiros.

Este ano tudo mudou. Tivemos um kart que não sendo uma bala como outros que vimos lá, tinha de facto um óptimo alinhamento, um chassis muito simpático e que nos ajudou bastante.

Apesar de a Racing ACES ter estado a um nível muito forte e competente, a verdade é que ao início da manhã, estávamos somente a 7 segundos da liderança e a mostrar que estávamos mais fortes que todos os outros.

Mas vamos por partes, ou melhor, vamos dividir a prova em três partes.

A primeira em que a Racing ACES esteve muitíssimo forte e foi abrindo uma vantagem que lhes praticamente garantiu a vitória.

Os ASES, nessa fase foram sempre segundos, ainda fomos penalizados uma vez por excesso de turno e por volta da uma da manhã, a Racing ACES tinha 4 voltas de avanço para nós.

A essa hora começou a chover e este facto marcou o arranque da segunda fase.

Não fomos os mais fortes, mas fizemos o suficiente para chegar ao início da manhã a somente sete segundos de uma Racing ACES perdida na chuva.

Nesse momento estavam criadas as condições para atingir o objectivo.

No entanto, quis o destino que a equipa errasse novamente e esse facto marca o arranque da terceira e última fase.

O que aconteceu:

O nosso piloto que terminava o turno, entrou demasiado rápido na boxe e com a chuva, falhou a balança, ultrapassou-a!

Os nossos pilotos iam começar a empurrar o kart para o recolocar (tocaram efectivamente no kart), quando o nosso discernimento achou melhor mandar o nosso piloto sair da boxe, dar mais uma volta à pista, entrar novamente e fazer tudo direitinho.

Tudo perfeito, tínhamos margem e tudo correu bem.

Perdemos volta e meia com isto, mas mantivemos o segundo lugar.

Só que a equipa estava muito forte e às 8 da manhã já estávamos em primeiro!

Pelas 9 da manhã fomos chamados ao secretariado…

Fomos informados que tínhamos falhado a balança e que os pilotos tinham tocado no kart e que íamos ser penalizados.

Outras equipas tinham feito o mesmo e já tinham sido penalizadas.

Só que houve uma diferença, uma GRANDE diferença:

As outras equipas recolocaram o kart na balança e picaram o ponto. Nós não!

De facto tocamos no kart, mas não o recolocamos na balança.

Demos a volta extra, entramos e aí sim, pesamos e picamos o ponto.

Pouco importou, a penalização foi a mesma dos que efectivamente prevaricaram.

5 minutos parados.

O argumento dos comissários foi que… tocamos no kart e não podemos.

A direcção de prova resolveu interpretar o regulamento de forma diferente, atribuindo-nos acima do nosso procedimento correto, uma penalização injusta e completamente descabida.

Os ASES estiveram mais uma vez a um nível muito alto, mas o que fica para a história é que… não ganhamos.

Uma coisa é certa, como diz o ditado, “Não há mal que sempre dure…” e os eternos candidatos, já sabem que terão que contar connosco.

Parabéns à Racing Aces, uma mais que justa vencedora.

 

RESULTADOS.

Treinos Livres # Treinos cronometrados # Corrida

A nossa Boxe...

 

                                             

ASES Endurance com Mister Pragaosa

                                            

                                                                                                        

A estratégia esteve mais uma vez muito bem montada

 

Desta vez, as trocas foram o nosso ponto fraco

 

ASES Endurance - desta vez juntaram-se ao grupo Edgar Moutinho e Fábio Pereira. Humberto Conceição juntou-se à equipa nas 24H de Almeirim de 2017

 

<< Clique aquipara escrever aos ASES