por Rui Almeida

 

 

14 DE SETEMBRO 2009

RUKYMAN quarto classificado no ESTORIL

Mais uma boa prova de Rui Almeida

 

 

Olá a todos

Mais uma jornada muito positiva nesta minha aventura no Desafio Único.

O resultado final foi um bom quarto lugar, foi positivo, mas ainda assim acho que merecia um bocadinho mais.

Vamos por partes.

Devo começar por dizer que só conheci e rodei no circuito do Estoril, na sua versão original (à precisamente 25 anos!Eu sei que já não sou novo...), ou seja, sem o final da recta da meta apertado e lento e sem aquela aberração daquela variante com chicane para evitar a curva do Tanque.

O meu dia começou muito mal. O meu companheiro de equipa não parou na altura devida e depois ainda verifiquei que o carro estava com problemas de motor. Conclusão, apenas dei uma volta e mesmo essa, devagar. Pensava que o problema era grave (e não era) e não queria estragar ainda mais.

Só andei e descobri verdadeiramente a pista e os seus truques no treino cronometrado. E quando digo andar, estou a falar de 5 voltas… É que uma volta demora dois minutos e meio!

O tempo não foi mau – 2’31”499, mas só deu para o 16º lugar. Depois de fazer sempre top ten, este foi o meu pior resultado da época em treinos.

A Corrida:

Começo por agradecer desde já ao meu companheiro de equipa que fez a primeira corrida.

Tratando-se de um piloto muito jovem e sem experiência, tenho que lhe dar os parabéns, pois fez uma corrida absolutamente fantástica. Sem erros, sem exageros, com muita calma e inteligência, com um andamento certinho e sempre a evoluir, o Tiago conseguiu um resultado à partida inimaginável, fazendo-me sair da primeira fila da grelha (2ºlugar) para a minha corrida.

(Foto gentilmente cedida por FOTOGTI)

 

A minha responsabilidade era por isso mesmo, muito grande…

Não acusei a pressão e até comecei muito bem. No final da primeira volta, assumi a liderança e por ali andei até à quarta volta.

No entanto, tenho de reconhecer que estava a fazer muito mal o final da recta da meta. Cheguei a conseguir afastar-me, mas o final da recta da meta era um pesadelo. Em todas ou quase todas as voltas, fui passado ali.

Entretanto entrou o pace-car devido a um acidente e o pelotão foi novamente reagrupado.

Com o reatar da corrida, houve dois pilotos muito rápidos que me passaram e aí a minha preocupação passou a ser colaborar para tentar ganhar algum espaço para quem vinha atrás.

Tudo parecia perfeito e na penúltima volta estava a preparar o caminho para chegar ao segundo lugar. Só que na tal chicane levei um toque de quem me precedia que me fez perder a distância suficiente para já não poder consumar a ultrapassagem na recta da meta.

Consegui recuperar e encostar aos dois primeiros durante a última volta.

O final aproximava-se e a tensão aumentava exponencialmente.

Tudo se precipitou novamente na chicane quando o quarto classificado, numa manobra desesperada me tentou passar num sítio impossível. Abalroou-me e acabou por ficar lá virado ao contrário.

Quanto a mim, o carro ficou completamente desequilibrado e lento e por isso, fui ultrapassado por outro concorrente. Isto tudo a três curvas do fim.

Gostava de ter proporcionado outro resultado a todos aqueles que me foram ver a quem agradeço e dedico a minha prova, mas as corridas são assim mesmo. Apesar de um resultado positivo para quem não conhecia a pista, mostrei andamento para fazer melhor.

O andamento desta feita foi mais equilibrado e por isso mesmo os toques foram mais que muitos. Devo dizer que até esta prova, mantinha o carro imaculado, mas desta feita, ainda não tinha terminado a primeira volta e já não tinha retrovisores!

A próxima prova será novamente uma novidade para mim, uma rampa!

Será a rampa da Penha em Guimarães, que não sei onde fica, mas espero descobrir até ao dia 3 de Outubro!

Até lá, fiquem bem!

(Foto gentilmente cedida por FOTOGTI)