por Rui Almeida

 

29 DE SETEMBRO 2008

 

 

A um convite destes é impossível dizer "NÃO" e de facto foi uma experiência no mínimo engraçada.

Não só tive oportunidade de experimentar um carro que é espectacular em todos os sentidos, como também de participar num programa de televisão onde acontecem aqueles "ACÇÃO" e "CORTA!".

E só para entrar no stand da Caetano Drive houve dois cortes: Um porque disse "bom dia" ao apresentador do programa e tive de repetir a cena sem dizer o momento do dia e logo outro porque o interlocutor junto da VW também o fez quando entramos no stand...

Enfim, coisas de actores como eu!

Estão a ver aquelas imagens em que o carro que está a ser apresentado vai a ser ultrapassado por quem o filma e vice-versa?

Se virem o programa TEST-DRIVE que passa no PORTO CANAL da TV Cabo do próximo dia 11 de Outubro, vão ver cenas dessas e muito mais, mas com um piloto a sério a conduzir. Eu!

Sim, porque isto de se conduzir um automóvel tão apelativo e vir outro automóvel com pessoas a sair pelo tecto, um a filmar e outro a dar ordens e indicações e ainda uma série de automóveis de cidadãos comuns incrédulos com tanta aparência e que não se importaram nada com a nossa falta de velocidade, não é para todos!

E como não havia duplo para pegar na máquina de filmar e andar a alta velocidade tive de fazer o sacrifício de andar a 30 e a 40 à hora... mas só nessa fase da gravação!

E o carro?

Olhem para estas jantes de 18 polegadas e digam que são feias, hem!

O carro é ideal para uma pessoa como eu.

Um motor dois litros de injecção directa e ainda com uma ajudinha de um turbo compressor para facilmente chegar aos 200CV e suplantar os 230 km/h acho que me chega.

Uma caixa de velocidades automática de dupla embraiagem, a famosa DGS, também não faço por menos.

Um parolo como eu que nunca tinha experimentado nada assim, quase tive a sensação de estar sentado num formula 1 tal a rapidez de passagem. Só faltaram mesmo as patilhas no volante para fazer outro filme.

Duas portas, uma aparência agressiva quanto baste e uma traseira que faz lembrar um kit-car não deixa ninguém indiferente.

No interior duas quase baquets à frente e mais duas atrás (recordo que eu ando sozinho...).

Depois aquilo que já é normal num carro desta categoria. O assento e volante com pluri ajustamentos que tornam muito difícil não acertar com a nossa posição de condução.

Um ecrã táctil para ajuste das funções de rádio, leitor de CD's, de cartões, MP3 e tudo o mais que lhe queiram ligar. Até um disco de 30 Gb ele trás.

A mala não é nenhuma referência, mas para meter o nosso equipamento, os lastros em chumbo de toda a gente, chega e sobra (e eu ando sozinho...)! E depois, quem quer ter um carro destes está preocupado com a mala? Julgo que não.

E os consumos? Acredito que a 230 deve gastar um bocado, mas a outras velocidades menos dignas para este carro parece que até é comedido. Os milagres da electrónica a funcionar.

E ao volante? Isso é que querem saber.

Terão razão alguns que dizem que eu já me devia ter reformado das corridas. Com o ESP ligado podemos fazer gato sapato dele que ele é muito permissivo ou então os meus limites estão muito aquém dos dele.

Não posso dizer que o provoquei muito, até porque o responsável pelo carro ia ao meu lado e também não posso dizer que dei tudo do que sou capaz, mas acreditem no que vos digo.

Consegue-se andar bem depressinha e principalmente a curvar.

A minha vontade era chegar ao stand, despedir-me de todos e vir para casa nele, mas aí acordei para a realidade e quando me falaram em 37 mil euros tive de entregar a chave.

Caro? Claro que não para um carro com estas características e principalmente desta qualidade.

De qualquer maneira há uma versão de 120CV por 25 mil, igual a este em tudo menos no motor.

Comenta esta notícia noFORUMdos ASES!