por RUKYMAN

8 DE JUNHO 2006

Baltar Kart Cup 2006 – 1ª Prova

A luz ao fundo do túnel.  

 

Começando pelo fim, já que o que todos querem saber são os resultados, infelizmente tenho de dizer que mais uma vez ficamos em branco ou quase…

“Ora bolas!” – já estão todos a pensar. Dizendo isto desta forma fria e principalmente para quem estava habituado a ouvir falar de vitórias é no mínimo desesperante, mas a verdade é que o rapaz está mesmo com azar.

Esperemos que esta série negra tenha chegado ao fim.

Ficamos em branco ou quase, porque até se atingir a final, o Rui esteve sempre (e finalmente!) ao nível dos melhores terminando a sessão de treinos a dois décimos da pole-position e as duas meias-finais do programa sempre em muito bom nível.

Naturalmente que este facto deixou o rapaz com um sorriso de orelha a orelha, mas foi sol de pouca dura, pois quando a direcção de prova deu ordem para colocar os motores a trabalhar para a final, o do Rui mais uma vez não reagiu.

Pensou-se que seria a bateria, o que não constituiria problema, mas após a troca deste elemento por duas vezes, constatou-se que o problema seria mais grave e a reparação demoraria algum tempo. Resumindo, o Rui nem partiu para a final…

Claro que ele, que já começa a ter uma postura e uma atitude mais madura sobre este desporto que tanto gosta, saiu de Baltar bastante desolado.

E aqui abro uns parênteses para referir o quanto ele está diferente. Todas as adversidades porque tem passado, começam de certa forma a empurra-lo para uma posição diferente na equipa.

Provavelmente terá assumido que também teria de fazer algo mais para alterar o rumo dos acontecimentos e não ficar à espera que a equipa faça tudo por ele.

Já diz o que quer e como quer, já afina em andamento e quando pára na boxe relata minuciosamente o que se está a passar.

O preparador começa a ouvi-lo (com ouvidos de ouvir!), a acreditar nas suas informações e até se zangam um com o outro!

Eu sei que para quem está de fora o que contam são os resultados, mas nós – equipa, estamos muito optimistas quanto ao futuro deste campeonato.

Depois do desastre que foi a Taça de Baltar, a equipa fez uma grande quantidade de testes.

O Rui estava a perder mais de um segundo por volta e se já tínhamos chegado à conclusão que o problema não estava no piloto, tinha de estar numa das outras variáveis desta equação – ou motor ou chassis.

Finalmente decidimo-nos pela aquisição de um chassis (uma solução muito dolorosa para este “paitrocinador…”) que só veio na última quinta-feira.

Houve necessidade de “fazer” o banco, os pedais e o volante para a estatura do Rui e no sábado, com muitos eventos a ocorrerem na pista de Baltar, só deu para definir uma afinação base do chassis. No motor nem se tocou!  

Este foi afinado do treino livre de domingo. Felizmente que ninguém foi para a pista (já todos tinham o trabalho de casa feito) e desta forma, com o Rui sozinho em pista nós podíamos ouvi-lo “cantar”. E assim se fez uma afinação em 10 minutos!

A surpresa das surpresas aconteceu no treino cronometrado quando o Rui surgiu na frente da tabela de tempos e só foi desalojado quase no fim, acabando com o terceiro tempo a dois décimos de segundo da pole. Nada mau!

Como referi na crónica anterior, a Evolução A (a categoria do Rui) corre juntamente com a B, cuja diferença está no uso de um motor mais potente nesta última.

Infelizmente, um “Bê” ficou a separar o Rui dos dois melhores “Ás” e se ele estava consciente que era fundamental partir na frente deste, tal não se verificou.

Embora os dois “Ás” estivessem ali à sua frente, o piloto da “Bê” funcionava como que um muro que os separava. O Rui, mercê de uma menor velocidade de ponta, nunca o conseguiu passar. 

Na segunda meia-final, o Rui foi mesmo abalroado na partida, mas recuperou muito bem até chegar novamente à traseira do “Bê” e aí penar até ao fim.

Terminou em quarto, mas na tabela das melhores voltas voltou novamente a ser terceiro.

Agora o Rui vai entrar de férias e já com o 6ºano no bolso vai ser só treinar, treinar.

Na primeira crónica terminei dizendo que as notícias nunca seriam piores e se é verdade que ainda não são as que todos queremos ler, já se vê bem a luz ao fundo do túnel!

Dia 9 de Julho cá estarei novamente.

 

Acertar o chassis à estatura do Rui

Preparação no sábado

Paragem entre ensaios

Chassis quase afinado...

Depois do esforço a frustação no Domingo...

O Rui corre com o apoio de: