por RUKYMAN

3 DE MAIO 2006

Estreia de Rukyman só deu para um… último lugar!

 

O arranque da época 2006 do nosso piloto não começou muito bem .

Em abono da verdade, o rapaz até se portou (quase) bem e foram mesmo problemas técnicos que estiveram na origem de tão desastrosa prestação.

No sábado, dia destinado às afinações de chassis e carburação, o Rui esteve sereno e  conseguiu chegar a tempos  (ditos) normais. Ainda por cima, usando sempre pneus usados  e já um pouco gastos,  a equipa estava optimista.

Naturalmente que ele estava  um pouco ansioso, mas foi com surpresa que no Domingo logo na primeira sessão de treinos, alcançou o penúltimo tempo.

Para se ter uma ideia da “desgraça”, diga-se que ele estava  agora a usar pneus novos e neste contexto, alcançar um resultado semelhante ao de sábado seria mau, quanto mais fazer ainda pior (!) ficando a sete décimos dos tempos alcançados  no dia anterior e a segundo e meio do melhor tempo da sessão! Uma eternidade…

Depois de muitas verificações e confrontações, concluiu-se que o problema estava no motor, mas apesar de algumas alterações, a primeira corrida mostrou que o problema se mantinha.

O Rui arrancou muito bem, conseguiu subir dois lugares, mas depois andou a corrida toda a servir de tampão. Ninguém o passou, mas os que estavam à sua frente foram-se afastando de forma gradual.

Havia que fazer algo, mas a verdade é que a equipa estava um pouco perdida…

Ainda assim, as alterações para a segunda corrida pareceram resultar.

Os pilotos da frente estavam agora mais lentos, sendo o calor e a temperatura da pista a explicação  lógica e natural para isso e o facto de o Rui estar mais rápido era um bom indicador.

Os seus tempos foram mais condizentes, mas apesar disso continuava a não ter o andamento do grupo da frente. Contudo, a diferença caiu do segundo e meio para menos de meio segundo.

No entanto desta vez, o Rui  viu-se confrontado com outro problema: Juntamente com a categoria do Rui corre a Evolução B, outra categoria que usa karts mais potentes  e como o Rui saiu quase da cauda do pelotão, foi muito difícil de recuperar.

O Rui fez uma boa corrida, mas a dada altura da sua recuperação, viu-se atrás de um desses karts. Era mais rápido no “miolo” do circuito, mas não tinha velocidade em recta para o ultrapassar. Dadas as circunstâncias, o quinto lugar foi bom.

A falta de rendimento do motor passou a ser um dado adquirido e perante o que assistimos na segunda corrida, a equipa decidiu não mexer no kart para a final.

Mas deu-se um golpe de teatro: Mostrando que estava mesmo com algum problema, o motor “recusou-se” a arrancar e quando finalmente o conseguimos fazer trabalhar o pelotão já ia longe na volta de lançamento.

O Rui teria de fazer uma volta muito rápida para entrar novamente no pelotão e arrancar no seu lugar.

Mas ele teve uma ideia melhor!

A meio da volta resolveu atalhar caminho, conseguindo chegar à cauda do pelotão antes da zona limite e na partida lá estava ele no seu lugar.

Naturalmente que foi penalizado com um “stop and go” e com isso alcançou o seu primeiro… último lugar da sua ainda curta carreira!

Nada está perdido e esta prova - a Taça de Baltar, tem objectivamente o propósito de nos permitir verificar o ponto em que estamos.

Claro que o ideal seria ter conseguido desde já um bom resultado, mas por outro lado, dá-nos ainda a possibilidade de recuperar até à primeira prova do campeonato que começa a 14 de Maio.

Nessa altura daremos novamente notícias e duma coisa estou certo.  Piores não serão com certeza! Verdade de La Palisse... 

O Rui corre com o apoio de: