por Rui Almeida

15 DE NOVEMBRO 2018

 

 

 

Em dia de comemoração o ICEMAN tornou-se no oitavo campeão dos ASES em 19 edições

 

ICEMAN CAMPEÃO SUCEDE A LUÍS FERNANDES

VITÓRIAS DE HUGO CARVALHIDO (em estreia!) E LUÍS DUARTE

 

Terminou o troféu dos ASES 2018 e tal como se esperava, coroou Rui Almeida Júnior (o Iceman) como campeão! Era o mais forte candidato e surpresa seria se não conseguisse o título.

Almeida Júnior juntou mais um recorde ao seu pecúlio na vertente de “o mais jovem a”, alcançando o título logo na primeira corrida do programa.

Foi o culminar de um desígnio que se esperava mais cedo ou mais tarde.

Em 2015, o Iceman atacou o título travando uma batalha épica contra o grande dominador dos últimos 5 anos de troféu – Luís Fernandes, perdendo o título por um pêlo.

Seguiram-se dois anos, nos quais os afazeres académicos o impediram de lutar pelo troféu, mas em 2018 tudo mudou.

As primeiras jornadas, mostraram que este ano o número de candidatos ao título era elevado, com Rui Almeida Sr, Rui Miranda e Luís Duarte a começarem melhor. O número cresceu com a entrada em cena do campeão em título Luís Fernandes e com aquele que veio a conquistar o título – Rui Almeida Jr.

João Moreira teve um início de troféu bastante atípico e infeliz, mas sobretudo o que saltou à vista foi a maior competitividade geral.

Sem ter feito nenhum levantamento estatístico, a sensação com que se ficou, foi que o nível competitivo esteve no mínimo, ao nível dos gloriosos anos de ouro do troféu.

Com o avançar do ano, o número de candidatos ao título caiu repentinamente: Primeiro com o abandono do troféu por parte de Rui Miranda, depois os afazeres profissionais de Luís Fernandes (três ausências forçadas) e finalmente com a lesão de Luís Duarte.

João Moreira foi subindo de forma, mas os maus resultados iniciais já o tinham condenado. Diogo Sousa foi conseguindo sempre bons resultados, mas a desejada vitória só aconteceu na penúltima jornada e com tanta “auto-eliminação”, a luta ficou restringida a dois pilotos, curiosamente e por coincidência… pai e filho!

O pai Rui Almeida foi quem começou melhor sendo o primeiro líder do troféu. Com a sua postura muito pragmática das corridas alcançou quatro vitórias e nove pódios em 16 possíveis, permitindo-lhe chegar à última jornada na discussão do título.

Por seu lado, o filho Rui Almeida começou pior, mas a partir da terceira jornada arrancou definitivamente rumo ao título.

Diz o povo e com razão que “quem não arrisca não petisca” e o seu já tradicional estilo agressivo nos inícios de corrida, nunca virando a cara à luta, rendeu bons resultados.

Quatro vitórias e cinco segundos lugares, num total de dez pódios.

Neste troféu fica uma imagem que perdurará por alguns tempos: A luta épica entre pai e filho na penúltima jornada. Com o filho numa posição mais forte e o pai a precisar de vencer, o Sénior arriscou tudo como se não houvesse amanhã, derrotando o seu filho nessa “guerra”, mas perdendo no final a “batalha” do título. Foi bonito…

A última jornada:

Esta última jornada foi como sempre espectacular e competitiva.

Mais do que a discussão do título que muito dificilmente não seria para o Iceman, a dúvida estava em saber quem seriam os três felizardos que acompanhariam os três pilotos já qualificados para a TIT – Rui JR, Rui SR e Diogo Sousa.

Na primeira corrida, Luís Duarte e João Moreira carimbaram a sua qualificação, inclusivamente lutaram entre si, pelo quarto lugar da classificação final do troféu.

A surpresa (ou talvez não) veio de Hugo Carvalhido – 11º da classificação do troféu, que dominou em toda a linha.

Fez a pole-position (na frente de João Moreira) e depois demonstrou enorme maturidade na corrida, não acusando nunca a pressão de liderar uma corrida dos Ases pela primeira vez, carimbando a sua primeira vitória com grande autoridade.

Atrás, o Iceman colocou em prática a sua postura aguerrida, acabando por ultrapassar João Moreira após um erro deste.

Com o quinto lugar do seu progenitor, o Iceman carimbou em definitivo o título de campeão.

Quanto à TIT, ficava agora só um lugar disponível e Hugo Carvalhido com a sua vitória e o mau resultado de Gustavo Gonçalves, entrava fortemente nessa discussão.

Luís Fernandes, algo apagado nesta prova, ainda assim fez pontos suficientes na primeira corrida para também ocupar essa vaga, enquanto Jorge Meireles, Ricardo Passos e Luís Cunha estavam praticamente arredados.

Na segunda corrida Luís Duarte a regressar depois da sua infeliz lesão (pulso partido), mostrou que está totalmente recuperado e venceu com autoridade.

O segundo na grelha foi Diogo Sousa e o terceiro João Moreira.

Os mais infelizes foram o homem do título – Rui Almeida JR e Hugo Carvalhido que se viram obrigados a sair do final da grelha de partida.

Se para o Iceman, nenhum mal vinha ao mundo, pois o título já estava no bolso, Hugo Carvalhido via a qualificação para a TIT ficar complicada.

Luís Duarte venceu tranquilamente, concluindo o seu regresso à competição de forma bastante feliz, já que juntou à vitória o “roubo” do quarto lugar final do campeonato a João Moreira.

Diogo Sousa foi segundo e Rui Almeida SR terceiro.

Hugo Carvalhido quase protagonizou a surpresa do dia, já que fez grande corrida, arrancando do fim da grelha e terminou em sexto a morder os calcanhares a Gustavo Gonçalves, obtendo pelo caminho a melhor volta da corrida, mas morrendo na praia no que toca à qualificação para a TIT.

No final seguiu-se o tradicional almoço de confraternização e entrega de prémios.

Segue-se o FIM de FESTA para concluir a época.

CORRIDA 1 PISTA 3
TREINOS CORRIDA BEST LAPS
Pos. Kart Piloto Tempo Dif. Pos. Kart Piloto Laps Dif. Best Pos. Kart Piloto Best Dif.
1 08 Hugo Carvalhido 44,508 0,000 1 08 Hugo Carvalhido 14 00,00 43,318 1 14 Iceman 43,177 0,000
2 04 João Moreira 44,627 0,119 2 14 Iceman 14 01,22 43,177 2 09 Luís Duarte 43,220 0,043
3 14 Iceman 44,885 0,377 3 04 João Moreira 14 03,03 43,332 3 08 Hugo Carvalhido 43,318 0,141
4 09 Luís Duarte 44,896 0,388 4 09 Luís Duarte 14 03,43 43,220 4 04 João Moreira 43,332 0,155
5 15 Rui Almeida 45,028 0,520 5 15 Rui Almeida 14 05,73 43,520 5 01 Diogo Sousa 43,477 0,300
6 01 Diogo Sousa 45,162 0,654 6 10 Luís Fernandes 14 07,04 43,633 6 07 Manuel Fonseca 43,492 0,315
7 17 António Garcia 45,226 0,718 7 07 Manuel Fonseca 14 07,59 43,492 7 15 Rui Almeida 43,520 0,343
8 10 Luís Fernandes 45,272 0,764 8 17 António Garcia 14 10,82 43,840 8 03 João Sousa 43,559 0,382
9 07 Manuel Fonseca 45,370 0,862 9 18 Luís Cunha 14 11,93 43,618 9 16 Ricardo Passos 43,600 0,423
10 18 Luís Cunha 45,480 0,972 10 01 Diogo Sousa 14 16,04 43,477 10 18 Luís Cunha 43,618 0,441
11 16 Ricardo Passos 45,618 1,110 11 02 Gustavo Gonçalves 14 16,29 43,792 11 10 Luís Fernandes 43,633 0,456
12 02 Gustavo Gonçalves 45,626 1,118 12 03 João Sousa 14 26,33 43,559 12 02 Gustavo Gonçalves 43,792 0,615
13 11 Jorge Meireles 45,717 1,209 13 12 Nuno Gonçalves 14 28,26 44,391 13 17 António Garcia 43,840 0,663
14 03 João Sousa 45,867 1,359 14 11 Jorge Meireles 14 39,70 44,875 14 06 Joaquim Oliveira 44,390 1,213
15 12 Nuno Gonçalves 46,081 1,573 15 06 Joaquim Oliveira 11 a 3 Laps 44,390 15 12 Nuno Gonçalves 44,391 1,214
16 13 Renato Afonso 46,377 1,869 16 16 Ricardo Passos 7 a 7 Laps 43,600 16 11 Jorge Meireles 44,875 1,698
17 06 Joaquim Oliveira 59,999 15,491 17 13 Renato Afonso 1 a 13 Laps 49,633 17 13 Renato Afonso 49,633 6,456
CORRIDA 2 PISTA 3
TREINOS CORRIDA BEST LAPS
Pos. Kart Piloto Tempo Dif. Pos. Kart Piloto Laps Dif. Best Pos. Kart Piloto Best Dif.
1 04 Luís Duarte 43,019 0,000 1 04 Luís Duarte 14 00,00 42,995 1 11 Hugo Carvalhido 42,964 0,000
2 03 Diogo Sousa 43,066 0,047 2 03 Diogo Sousa 14 01,78 42,973 2 03 Diogo Sousa 42,973 0,009
3 08 João Moreira 43,080 0,061 3 14 Rui Almeida 14 02,88 43,086 3 04 Luís Duarte 42,995 0,031
4 14 Rui Almeida 43,298 0,279 4 08 João Moreira 14 03,63 43,163 4 05 Luís Fernandes 43,056 0,092
5 05 Luís Fernandes 43,350 0,331 5 18 Gustavo Gonçalves 14 07,43 43,332 5 14 Rui Almeida 43,086 0,122
6 11 Hugo Carvalhido 43,622 0,603 6 11 Hugo Carvalhido 14 08,84 42,964 6 08 João Moreira 43,163 0,199
7 17 Manuel Fonseca 43,631 0,612 7 07 Jorge Meireles 14 12,96 43,343 7 16 Iceman 43,297 0,333
8 18 Gustavo Gonçalves 43,704 0,685 8 16 Iceman 14 13,34 43,297 8 18 Gustavo Gonçalves 43,332 0,368
9 07 Jorge Meireles 43,715 0,696 9 05 Luís Fernandes 14 14,08 43,056 9 07 Jorge Meireles 43,343 0,379
10 12 Luís Cunha 43,775 0,756 10 17 Manuel Fonseca 14 15,66 43,598 10 17 Manuel Fonseca 43,598 0,634
11 10 João Sousa 43,778 0,759 11 12 Luís Cunha 14 16,90 43,854 11 09 Renato Afonso 43,742 0,778
12 09 Renato Afonso 43,875 0,856 12 09 Renato Afonso 14 18,68 43,742 12 12 Luís Cunha 43,854 0,890
13 01 António Garcia 43,949 0,930 13 10 João Sousa 14 22,90 44,008 13 01 António Garcia 43,857 0,893
14 16 Iceman 44,216 1,197 14 15 Joaquim Oliveira 14 23,80 44,223 14 10 João Sousa 44,008 1,044
15 02 Nuno Gonçalves 44,218 1,199 15 02 Nuno Gonçalves 14 24,52 44,250 15 06 Ricardo Passos 44,139 1,175
16 15 Joaquim Oliveira 44,496 1,477 16 06 Ricardo Passos 14 25,94 44,139 16 15 Joaquim Oliveira 44,223 1,259
17 06 Ricardo Passos 45,867 2,848 17 01 António Garcia 14 32,67 43,857 17 02 Nuno Gonçalves 44,250 1,286

 

Aqui o cronista tinha previsto e acertou! Hugo Carvalhido materealizou com uma vitória a sua subida de forma ao longo de 2018

 

LUÍS DUARTE regressou à actividade e mostrou com uma vitória que está completamente recuperado

O Iceman recebe de António Rosa a taça de campeão dos ASES 2018

Pai e filho, vice-campeão e campeão dos ASES posam para a posteridade

 

O almoço contou com 17 presenças!

 

<< Clique aquipara escrever aos ASES