por Rui Almeida

19 DE NOVEMBRO 2015

 

 

LUÍS FERNANDES É TRI-CAMPEÃO!

FORTE RÉPLICA DE RUKY ICEMAN QUE TERMINA A 6 PONTOS

RUI ALMEIDA e VITOR FERNANDES vencem e fecham o TOP SIX

 

Foto com o pódio final do troféu 2015 - Ruky Iceman, Luís Fernandes e João Moreira

 

Luís Fernandes é TRI-Campeão ASES PELOS ARES.

 

Terminou a 16ª edição do troféu dos ASES e terminou ao melhor estilo de um filme de suspense!

Luís Fernandes chegou à prova final com ligeira vantagem sobre Ruky Iceman e para chegar ao título teria de controlar de muito perto o seu único adversário.

Por seu lado, a jovem certeza dos ASES teria de terminar sempre na frente de Fernandes e embora não fosse totalmente necessário, o melhor seria mesmo vencer as duas mangas! Coisa pouca…

Agora a posteriori, podemos dizer que foi isto que se passou, mas o enquadramento em que aconteceu não foi bem aquele que todos imaginaram.

De facto, o domínio nas duas mangas em que ambos estiveram em pista sem a presença do outro, foi dos candidatos a representar o grupo na próxima edição da Taça Intertroféus (TIT).

Aqui a luta era a oito (!), embora só quatro tivessem reais possibilidades de chegar a uma das duas eventuais vagas – Vitor Fernandes, Rui Almeida, Reinaldo Fonseca e Pedro Nunes.

Na primeira manga o Iceman esteve em acção, mas quem dominou foi Vitor Fernandes que fez a pole-position e liderou a prova toda, carimbando definitivamente o seu passaporte para a TIT.

A luta pelo segundo lugar esteve ao rubro com outro candidato à TIT – Rui Almeida a tentar desesperadamente desenvencilhar-se de Rui Miranda.

O terceiro lugar servia as suas aspirações, mas na última volta, na segunda tentativa de ultrapassagem, acabou por perder o frontal terminando em 11º lugar.

Quanto ao Iceman, depois do terceiro lugar nos treinos, teve problemas com o carburador que tinha uma peça a desapertar-se e com isso a perder rendimento, terminando apenas em quarto. Um lugar que não lhe interessava de forma alguma, acabando mesmo por ser um dos resultados que não aproveitou na classificação final do troféu.

De fora a assistir, Luís Fernandes poderia tranquilizar-se um pouco mais com os acontecimentos a tenderem para o seu prato da balança. Na segunda manga era a sua vez de entrar em acção.

No entanto e contra tudo o que tem sido normal, mais uma vez foram os interessados no acesso à TIT a dominar, relegando para segundo plano os pilotos que lutavam pelo título.

Assim e depois do desaire da manga inicial, Rui Almeida dominou em toda a linha, fazendo “barba, cabelo e unhas” que é como quem diz, venceu obtendo todos melhores registos e mais importante, fechou as contas da TIT.

Em segundo e também sem qualquer pressão terminou Pedro Nunes, que também era grande interessado na qualificação à TIT.

João Moreira foi novamente um tranquilo terceiro classificado.

E quanto a Luís Fernandes?

Tal como o Iceman, Fernandes também não teve a sorte pelo seu lado. Foi sétimo nos treinos e depois de perder o frontal numa tentativa de ultrapassagem a Gustavo Gonçalves, acabou por desistir, já que qualquer lugar que não um top 3, seria para não aproveitar.

Chegávamos então à manga final do programa que também foi a manga final do campeonato só a faltar a atribuição do título de Campeão.

A situação era simples: Ao Iceman só a vitória interessava, enquanto que Luís Fernandes tinha de ser segundo.

Mas ainda assim, ambos ficariam empatados. A vantagem estaria naquele que fizesse melhor volta!

Nos treinos foi o Iceman que obteve a melhor volta, mas Fernandes foi segundo a três centésimos de segundo! A luta estava ao rubro.

Na corrida não chegou a haver luta. Inteligentemente Luís Fernandes limitou-se a seguir o Iceman e a sua preocupação centrou-se mais em fazer melhor volta que o líder, que conseguiu pela mesma diferença que lhe tinha sido imposta nos treinos – três centésimos de segundo.

Mesmo que o Iceman fosse mais rápido precisaria que um terceiro piloto se imiscuísse entre os dois para conseguir chegar ao título.

No final, Luís Fernandes e Ruky Iceman terminaram com os mesmos resultados: O mesmo número de vitórias, o mesmo número de segundos lugares e o mesmo número de terceiros! Os únicos resultados válidos que ambos aproveitaram para a classificação final.

Os pontos extra como que funcionaram como factor de desempate e foi aqui que Luís Fernandes fez a diferença… por 6 pontos: 285 contra 279.

Agora que terminou, podemos dividir a história deste campeonato em três fases:

Uma fase inicial onde Luís Fernandes foi o mais forte. João Moreira também esteve bem e deu boa réplica.

Uma segunda fase onde se assistiu à ascensão de João Moreira, que inclusivamente passou a liderar o campeonato. O fim desta segunda fase coincide com o caso “fair-play” que terá aniquilado mesmo que inconscientemente João Moreira.

A fase final do campeonato teve no Iceman o grande dominador, embora Luís Fernandes fosse sempre controlando os seus resultados. É certo que a partir da sexta prova Fernandes perdeu sempre no confronto directo, mas marcou preciosos pontos sempre que o Iceman não esteve em pista.

Nesta fase Fernandes fez prevalecer toda a sua experiencia, calma e sangue frio para não se deixar levar pelo melhor desempenho final do seu adversário. Mostrou sempre ter as contas controladas, atacando e arriscando cirurgicamente apenas quando necessário.

Quanto ao Iceman, mostrou que os ASES têm o futuro garantido. Já ninguém tinha dúvidas que era muito rápido, mas isso não chega. A grande evolução em 2015 foi no sentido da maturidade e principalmente da consistência. Hoje é sem dúvida um piloto completo, um piloto com que todos têm de contar dentro e fora dos ASES.

O terceiro lugar acabou em João Moreira que apostou forte no campeonato deste ano. Aliás foi a primeira vez desde que se estreou nos ASES que Moreira fez o campeonato completo.

Quando tudo indicava que iria ter mais um grande resultado, aconteceu o caso “fair-play” que aniquilou as suas esperanças e a partir desse momento ficou um pouco refém dos resultados dos seus directos adversários. João Moreira ainda voltou a vencer, mas a partir do momento em que deixou de ter hipóteses de chegar ao título, baixou a guarda e apenas cumpriu calendário.

O quarto foi Pedro Sousa que foi a grande revelação dos ASES 2015. Mostrou grande rapidez e consistência. No entanto nalgumas situações faltou aquela pontinha de sorte e por isso mesmo a grande pecha do seu campeonato foi a falta de uma vitória que consolidasse a sua época e lhe desse aquela força extra que lhe permitisse lutar pelo título até ao fim.

O quinto foi a velha raposa dos ASES que teve a época mais difícil desde que que se estreou no troféu em 1998!

Vítima de situações alheias à sua vontade, mas que fazem parte das corridas, Rui Almeida teve uma parte final do troféu ao seu melhor estilo conseguindo recuperar de lugares bem para lá do top dez para terminar no 5º lugar.

Finalmente, Vitor Fernandes que terminou como rookie do ano!

Vitor Fernandes fez a sua carreira até agora no troféu da Universidade do Minho, representou esse troféu na TIT e venceu-o em duas ocasiões!
Este ano resolveu estrear-se nos ASES e em boa ocasião o fez porque na época de estreia venceu por duas vezes e pode, se assim o entender, representar os ASES na TIT.

Este ano o troféu esteve a um nível muito elevado, com 6 pilotos a conseguirem vencer e 17 a chegarem ao pódio!

Foi evidente a evolução geral do grupo, bem com a inscrição de pilotos cheios de vontade de evoluir e de aprender com os melhores.

Agora é tempo de festejos e de gozar os resultados obtidos.

O troféu volta em 2016!

Manga A

CORRIDA 1
TREINOS CORRIDA BEST LAPS
Pos. Kart Piloto Tempo Dif. Pos. Kart Piloto Laps Dif. Best Pos. Kart Piloto Best Dif.
1 04 Vitor Fernandes 47,750 0,000 1 04 Vitor Fernandes 13 0,00 47,871 1 01 Rui Almeida 47,632 0,000
2 16 Rui Miranda 48,180 0,430 2 16 Rui Miranda 13 04,40 47,939 2 08 Jorge Meireles 47,666 0,034
3 20 Iceman 48,200 0,450 3 05 João Moreira 13 06,64 47,982 3 20 Iceman 47,849 0,217
4 01 Rui Almeida 48,240 0,490 4 20 Iceman 13 07,20 47,849 4 04 Vitor Fernandes 47,871 0,239
5 08 Jorge Meireles 48,250 0,500 5 08 Jorge Meireles 13 07,34 47,666 5 16 Rui Miranda 47,939 0,307
6 05 João Moreira 48,280 0,530 6 17 João Veiga 13 07,70 47,980 6 17 João Veiga 47,980 0,348
7 17 João Veiga 48,390 0,640 7 02 Ricardo Passos 13 09,72 48,277 7 05 João Moreira 47,982 0,350
8 21 Marcio Moreira 48,670 0,920 8 09 Pedro Nunes 13 10,00 48,141 8 09 Pedro Nunes 48,141 0,509
9 15 Renato Afonso 48,760 1,010 9 21 Marcio Moreira 13 13,23 48,324 9 02 Ricardo Passos 48,277 0,645
10 06 Manuel Fonseca 48,810 1,060 10 06 Manuel Fonseca 13 13,59 48,629 10 21 Marcio Moreira 48,324 0,692
11 09 Pedro Nunes 48,870 1,120 11 01 Rui Almeida 13 15,65 47,632 11 15 Renato Afonso 48,501 0,869
12 02 Ricardo Passos 48,990 1,240 12 19 Luís Boiça 13 16,99 48,714 12 06 Manuel Fonseca 48,629 0,997
13 18 Nuno Gonçalves 49,000 1,250 13 18 Nuno Gonçalves 13 24,49 49,126 13 19 Luís Boiça 48,714 1,082
14 19 Luís Boiça 49,210 1,460 14 15 Renato Afonso 13 25,86 48,501 14 07 Ruben Azevedo 49,120 1,488
15 07 Ruben Azevedo 49,730 1,980 15 07 Ruben Azevedo 13 25,90 49,120 15 18 Nuno Gonçalves 49,126 1,494
16 13 Marco Azevedo 50,280 2,530 16 19 Paulo Andrade 13 38,29 49,708 16 12 João Marcelo 49,590 1,958
17 03 Nelson Pereira 50,490 2,740 17 13 Marco Azevedo 13 40,44 49,865 17 19 Paulo Andrade 49,708 2,076
18 12 João Marcelo 50,540 2,790 18 12 João Marcelo 13 40,97 49,590 18 13 Marco Azevedo 49,865 2,233
19 19 Paulo Andrade 50,550 2,800 19 03 Nelson Pereira 12  1 lap 51,399 19 03 Nelson Pereira 51,399 3,767

Manga B

CORRIDA 2
TREINOS CORRIDA BEST LAPS
Pos. Kart Piloto Tempo Dif. Pos. Kart Piloto Laps Dif. Best Pos. Kart Piloto Best Dif.
1 11 Rui Almeida 47,450 0,000 1 11 Rui Almeida 13 0,00 47,628 1 11 Rui Almeida 47,628 0,000
2 21 Pedro Nunes 48,100 0,650 2 21 Pedro Nunes 13 01,12 47,863 2 03 João Moreira 47,792 0,164
3 10 João Veiga 48,101 0,651 3 03 João Moreira 13 03,82 47,792 3 21 Pedro Nunes 47,863 0,235
4 03 João Moreira 48,120 0,670 4 10 João Veiga 13 04,71 47,977 4 02 Pedro Soares 47,869 0,241
5 18 Gustavo Gonçalves 48,250 0,800 5 06 Vitor Fernandes 13 06,59 48,086 5 10 João Veiga 47,977 0,349
6 02 Pedro Soares 48,260 0,810 6 18 Gustavo Gonçalves 13 08,30 48,165 6 08 Reinaldo Fonseca 48,006 0,378
7 13 Luis Fernandes 48,290 0,840 7 17 Marcio Moreira 13 08,70 48,009 7 17 Marcio Moreira 48,009 0,381
8 06 Vitor Fernandes 48,320 0,870 8 05 Antonio Novo 13 19,85 48,644 8 06 Vitor Fernandes 48,086 0,458
9 17 Marcio Moreira 48,410 0,960 9 09 André Martins 13 23,95 48,565 9 18 Gustavo Gonçalves 48,165 0,537
10 12 Renato Bastos 48,450 1,000 10 12 Renato Bastos 13 28,22 48,398 10 13 Luis Fernandes 48,181 0,553
11 08 Reinaldo Fonseca 48,610 1,160 11 15 Ruben Azevedo 13 34,05 49,670 11 12 Renato Bastos 48,398 0,770
12 05 Antonio Novo 48,720 1,270 12 07 Luis Boiça 13 37,62 48,589 12 09 André Martins 48,565 0,937
13 07 Luis Boiça 48,740 1,290 13 04 Joaquim Oliveira 13 39,66 48,930 13 07 Luis Boiça 48,589 0,961
14 16 João R.Martins 49,150 1,700 14 01 Marco Azevedo 13 45,73 49,447 14 05 Antonio Novo 48,644 1,016
15 04 Joaquim Oliveira 49,180 1,730 15 16 João R.Martins 13 46,88 48,726 15 16 João R.Martins 48,726 1,098
16 09 André Martins 49,290 1,840 16 02 Pedro Soares 13 1:00,49 47,869 16 04 Joaquim Oliveira 48,930 1,302
17 01 Marco Azevedo 49,690 2,240 17 08 Reinaldo Fonseca 13 1:40,31 48,006 17 01 Marco Azevedo 49,447 1,819
18 15 Ruben Azevedo 49,790 2,340 18 20 João Marcelo 12  1 lap 49,623 18 20 João Marcelo 49,623 1,995
19 20 João Marcelo 50,520 3,070 19 13 Luis Fernandes 6  7 laps 48,181 19 15 Ruben Azevedo 49,670 2,042
* Penalizado em 15 segundos por terminar a prova sem frontal

Manga C

CORRIDA 3
TREINOS CORRIDA BEST LAPS
Pos. Kart Piloto Tempo Dif. Pos. Kart Piloto Laps Dif. Best Pos. Kart Piloto Best Dif.
1 05 Iceman 47,630 0,000 1 05 Iceman 13 0,00 47,522 1 03 Luís Fernandes 47,489 0,000
2 03 Luís Fernandes 47,660 0,030 2 03 Luís Fernandes 13 01,17 47,489 2 05 Iceman 47,522 0,033
3 08 Pedro Soares 47,750 0,120 3 08 Pedro Soares 13 04,39 47,832 3 20 Gustavo Gonçalves 47,827 0,338
4 20 Gustavo Gonçalves 47,840 0,210 4 19 Renato Afonso 13 08,07 47,992 4 08 Pedro Soares 47,832 0,343
5 19 Renato Afonso 47,900 0,270 5 06 Reinaldo Fonseca 13 08,47 47,883 5 07 Rui Miranda 47,835 0,346
6 06 Reinaldo Fonseca 47,980 0,350 6 07 Rui Miranda 13 08,97 47,835 6 06 Reinaldo Fonseca 47,883 0,394
7 07 Rui Miranda 48,030 0,400 7 20 Gustavo Gonçalves 13 09,26 47,827 7 12 Jorge Meireles 47,968 0,479
8 12 Jorge Meireles 48,031 0,401 8 12 Jorge Meireles 13 10,22 47,968 8 19 Renato Afonso 47,992 0,503
9 04 Manuel Fonseca 48,250 0,620 9 04 Manuel Fonseca 13 12,66 48,125 9 04 Manuel Fonseca 48,125 0,636
10 18 André Martins 48,390 0,760 10 02 Renato Bastos 13 16,55 48,364 10 18 André Martins 48,201 0,712
11 02 Renato Bastos 48,470 0,840 11 18 André Martins 13 16,88 48,201 11 21 Nuno Gonçalves 48,362 0,873
12 21 Nuno Gonçalves 48,480 0,850 12 21 Nuno Gonçalves 13 19,62 48,362 12 02 Renato Bastos 48,364 0,875
13 10 António Novo 48,500 0,870 13 16 Ricardo Passos 13 25,11 48,531 13 16 Ricardo Passos 48,531 1,042
14 16 Ricardo Passos 48,880 1,250 14 10 António Novo 13 26,40 48,717 14 10 António Novo 48,717 1,228
15 17 Joaquim Oliveira 49,060 1,430 15 13 Paulo Andrade 13 39,74 49,780 15 17 Joaquim Oliveira 48,926 1,437
16 13 Paulo Andrade 49,720 2,090 16 17 Joaquim Oliveira 13 43,92 48,926 16 11 João R.Martins 49,462 1,973
17 01 Nelson Pereira 50,890 3,260 17 01 Nelson Pereira 8  5 laps 51,527 17 13 Paulo Andrade 49,780 2,291
18 11 João R.Martins S/Tempo   18 11 João R.Martins 4  9 laps 49,462 18 01 Nelson Pereira 51,527 4,038

____________________________________________________________________________________________________

 

Ruky Iceman dominou o último terço do campeonato, mas Luís Fernandes foi sempre uma sombra no seu horizonte

 

Ninguém consegue destronar o Imperador Fernandes desde que este se estreou nos ASES à três anos!

 

João Moreira venceu por 5 vezes no campeonato e merecia levar a sua luta até à última prova

 

Rui Almeida fez uma boa ponta final de campeonato que lhe permitiu subir até ao quinto lugar final

 

Vitor Fernandes pautou a sua época por alguma sobriedade, mas foi extremamente eficaz sempre que as condições o permitiram.

 

Renato Afonso está mais consistente e cada vez mais perto dos lugares do pódio

 Pedro Nunes não teva a sorte pelo seu lado na segunda parte do campeonato

 

<< Clique aquipara escrever aos ASES