por RUKYMAN

24 DE MARÇO 2010

Grande Prémio de VILA NOVA DE PAIVA

 

Condições climatéricas condicionam

Três vencedores diferentes

Campeonato muda de líder

 

Fotos de Fausto Morais

Reinaldo Fonseca pressionado por João Araújo Vitor Ramos e Tiago Martinho encoberto, enquanto José Aguiar observa

 

O torneio dos ASES de 2010 vai de vento em popa!

A segunda prova realizada em Vila Nova de Paiva rendeu três vencedores diferentes e o campeonato mudou de líder!

Os ASES encontraram em Paiva as piores condições climatéricas de que há memória em todas as edições do troféu, com chuva persistente durante quase todo o evento, chegando a ter momentos de verdadeira tromba de água.

Nestas condições, não há drenagem que resista e havia locais com altura de água a ultrapassar a dezena e meia de centímetros.

Mas como verdadeiros malucos das máquinas voadoras, ou melhor, das traineiras voadoras, Ases e membros do kartódromo uniram esforços no sentido de criar condições mínimas para a realização da prova.

De uma maneira geral, os karts resistiram bem à quantidade extraordinária de água, a maioria dos “afogamentos”, deu-se na primeira sessão de treinos e o programa acabou por se realizar sem percalços de maior.

Esta prova voltou a contar com pilotos estreantes – Jonatas Margarida, Pedro Silva e Vítor Neves que se juntaram a Fausto Morais e António Couto estreantes em Fafe.

E também voltou a contar com pilotos regressados – Tiago Martinho, José Aguiar e Vítor Ramos, que vieram aumentar ainda mais o índice de competitividade do troféu.

A primeira nota a salientar é a subida de Aires Azevedo à liderança do campeonato após nova vitória e demonstração de bom momento de forma em contra ponto com o facto de Luís Vaz não ter vencido, situação que já não acontecia desde o arranque de 2009!

Tiago Martinho protagonizou um excelente regresso aos ASES cinco anos depois e fê-lo da melhor maneira, ou seja, com uma vitória (a primeira entre ASES) e sendo também o piloto mais pontuado para o ranking.

José Aguiar também conseguiu um bom conjunto de resultados e o que se espera é que os regressados tenham vindo para ficar e para aumentar a qualidade e competitividade das corridas.

Quanto aos rookies, António Couto voltou a demonstrar muita competitividade, enquanto que os estreantes Vítor Neves e Pedro Silva também mostraram rapidez.

Vamos aguardar pela primeira prova em terreno seco.

Finalmente os chamados casos, parecem ter passado novamente ao lado da prova.

Apenas na primeira manga houve algum atrito, muito provavelmente pelo factor ‘novidade’ do estado em que se encontravam algumas zonas da pista que obrigavam estes a canalizar por uma zona de passagem muito estreita. A segunda e terceira corridas decorreram sem incidentes de maior.

Tiago Martinho mostrou logo ao que vinha obtendo a pole-position (a primeira entre os Ases). No entanto o grande vencedor foi João Araújo que venceu com grande autoridade e obteve ainda a melhor volta. Os três regressados ficaram logo a seguir com Tiago Martinho na frente de José Aguiar e Vítor Ramos.

O campeão Vaz minimizou o resultado menos positivo dos treinos com o quinto lugar logo seguido de Hernani Leite.

Na segunda manga Tiago Martinho voltou a obter a pole-position e desta vez não se deixou surpreender na corrida. Ainda assim, Aires Azevedo deu grande réplica, os dois fugiram ao pelotão e dominaram as atenções de todos com Aires a trocar de posição com Martinho por mais do que uma vez e a obter no final a melhor volta da corrida.

Desta vez o terceiro classificado foi Hernani Leite, brilhante em toda a prova que foi o melhor… dos outros.

Depois de obter o terceiro tempo na primeira manga, desta vez saiu de sexto e conseguiu chegar ao terceiro lugar. Depois resistiu durante muito tempo a Luís Vaz e a Vítor Ramos e acabou a manga com António Bompastor a “morder-lhe” os calcanhares depois de este ter saído de último!

A última manga colocou João Araújo na pole-position, mas seriam Rui Almeida e Aires Azevedo a dominar as atenções.

Enquanto Almeida e Araújo fugiam inicialmente ao pelotão, Aires Azevedo desenvencilhava-se rapidamente desse pelotão, alcançava o duo da frente e partia para uma vitória descansada.

Atrás de si, Almeida recuperava de um pião até ao segundo lugar, enquanto que Araújo fazia percurso inverso após incursão pela relva.

O terceiro seria Jorge Meireles a culminar uma prova muito rápida e regular.

 

O final da recta da meta era o local mais complicado

 

 - Corrida AB

 - Corrida AC

 - Corrida BC